Pesquisadora brasileira eleita como uma das '100 personalidades mais influentes' de 2017

Uma cientista brasileira Celina Turchi, da Fiocruz Pernambuco, foi elencada como uma das 100 personalidades mais influentes do mundo de 2017 pela revista americana "Time". A médica teve papel importante nas pesquisas relacionadas à microcefalia e o vírus da zika. A cientista organizou uma força-tarefa de cientistas do mundo todo para realizar os estudos que buscavam entender a relação entre o vírus da zika e a microcefalia. "Uma especialista em doenças infecciosas de Recife, no Brasil - que era o epicentro da primeira grande epidemia de microcefalia associada à zika - Turchi trabalhou sem parar, perdendo refeições e tempo de sono para descobrir o que estava acontecendo", diz o texto de Frieden. "Os estudos de Turchi foram parte de uma investigação de emergência que, em última instância, provaram que o vírus da zika de fato causa microcefalia - algo de que muitos céticos duvidavam", escreveu Tom Frieden sobre no perfil de Celina. Frieden foi diretor dos Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) até o início de 2017.